O 23


A minha experiência diz-me que, embora não haja amor como o primeiro, são poucas as pessoas que ao mudar-se para uma nova terra/cidade ficam realmente e indefinidamente no primeiro “abrigo” que escolheram.
Quase toda a gente acaba por, mais tarde, encontrar algo mais compatível com os seus gostos, necessidades, possibilidades e objetivos. É uma realidade comum, sobretudo quando falamos de situações de arrendamento. Não sei se é o que acontecerá connosco, mas por enquanto o “23” é o nosso lar (e, ainda bem, porque pensar em voltar a mudar tudo de novo já me deixa cansada!).

Para quem já passou por esta experiência, quero saber: ficaram sempre na primeira casa que vos acolheu ou acabaram por mudar?

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Este ano já foram duas mudanças e é de facto muito cansativo, não só física mas sobretudo psicologicamente mas o importante é sentirmo-nos bem naquela que é a nossa casa! :)
    Desejo-vos tudo de bom!
    Beijinhos

    ResponderEliminar